Comprar e Investir

Atualizado: Fev 8

Boa tarde a todos!

Tenho andado meio sumido, mas eu prefiro ser aquele que trás conteúdo mesmo que de forma espaçada do que aquele que publica todo dia alguma coisa só para dizer que publicou.

E estou aqui hoje para falar sobre Black Friday.

Trata-se de um evento onde há “oportunidades” de se comprar coisas por um preço mais baixo, em ofertas relâmpago. Muitos estabelecimentos aderem a essa cultura e pessoas aderem às compras.

Vamos avaliar alguns pontos:

* Lei de Oferta e de Demanda: princípio mais básico da Microeconomia (ramo da Economia relacionado com o mercado interno e o consumidor). Se demanda maior do que oferta, o preço sobe. Se demanda menor do que oferta, o preço desce. Se fornecedor baixa o preço, ele aumenta a demanda. E a relação consiste em achar o equilíbrio que seria o “menor preço que o fornecedor tem interesse em vender e o maior preço que o consumidor está disposto a pagar”.

Será que eventos de compra massiva contribuem para aumento ou redução dos preços, com base na microeconomia??

* Matemática: se o preço padrão de um produto, por muito tempo, foi de R$ 100,00 e, de repente, aumentou para R$ 150,00 (pouco antes da Black Friday) e depois baixou por irresistíveis R$ 100,00, a ilusão causada é que você tem um desconto de 33%. Mas na verdade você não teve desconto nenhum, pois o preço de equilíbrio sempre foi R$ 100,00.

E vamos dizer que o vendedor resolveu vender por R$ 90,00??? O desconto não foi de 40% (90 : 150). O desconto foi de 10% (90 : 100).

Na prática, R$ 150,00 é um preço desacelerador de demanda. Ele afasta o público, que guarda na memória curta o último preço. Mas depois com a Black Friday, voltamos a ter o preço de R$ 100,00.

De novo! Podem até existir descontos, mas se você comparar com o preço de equilíbrio e não com o valor mais recente, perceberá que o desconto é menor do que promete.

* Comprar barato não é ativo.

Esse é um ponto que as pessoas teimam comigo. Se você comprar um produto barato porque você precisa mesmo desse produto, beleza. Se você comprou só por ser barato e o guardou “para o caso de precisar um dia”, você não fez um investimento. Você fez uma estupidez. Talvez você tenha pago menos do que o preço de equilíbrio, mas você trocou esse valor por um bem que não te tem utilidade.

Comprar barato não é ativo. Não é investimento. É um passivo!! Só vale a pena comprar barato se você realmente tem um destino útil ou divertido para esse bem ou se você tem condições de revendê-lo com lucro.

* A felicidade não está nos bens.

Quanto mais coisas você compra, mais poeira acumula. Mais energia negativa. Menos espaço você terá na sua casa. Menos liberdade você tem. O excesso de bens te aprisiona. O medo de ser roubado(a) substitui por vezes o prazer de uma viagem gostosa.

Procure educar sua mente para ter uma vida com mais experiências e menos posses.

E outra: a Psicologia já explicou várias vezes que o ato de comprar desnecessariamente e de acumular pode ser uma hiper compensação de algum outro problema inconsciente. Não é mais inteligente você, se for o seu caso, buscar auxílio?? Procure um bom terapeuta e aprenda Educação Financeira. Sua mente lhe agradecerá!

Sucesso e lembre-se!! Seja livre!!

Abraço.

Prof. Rivero.

#microeconomia #oferta #demanda #simplicidade #felicidade #posse #blackfriday #consumo

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Barato ou caro?

Saudações a todos! Normalmente norteamos nossas decisões de consumo pelo preço. Aquele valor que a outra parte está te cobrando para fornecer o produto ou serviço. A lei que impera é: "conseguir o máx

Telefone.png
whats 3.png

+55 (51) 4042-0092

+55 (51) 98488-8460

professor@mentesfinanceiras.com.br

  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

PREPARANDO MENTES FINANCEIRAS • Poto Alegre/RS -Brasil