La garantía soy yo

Atualizado: Fev 8

Bom dia!!

Não sei se cheguei a comentar neste blog, mas eu sou funcionário público desde o ano 2000 (literalmente), quando eu tinha 19 anos. Exceto pelo intervalo de tempo compreendido entre metade de 2006 e metade de 2009. Isso dá um total de 16 anos trabalhados para o governo. No final de 2019, encerro minha carreira pública mais uma vez. Por quanto tempo? Ao ler este post você vai concluir!

Por que eu estou abordando este tema? Porque a vida do funcionário público tem algumas particularidades. Tanto para quem já é quanto para quem deseja ser (concurseiros). A primeira particularidade, e provavelmente a mais importante, é a da estabilidade.

Via de regra, a estabilidade te garante proteção do emprego após cumprir um chamado estágio probatório de 3 (três) anos durante os quais foste avaliado em diversos quesitos colocados na lei e, com direito a recurso caso discorde da avaliação.

O objetivo real dessa proteção é evitar que um funcionário seja demitido por ideologia política, religião, etnia, gênero ou sexualidade. Ou mesmo que seja substituído por um cabo eleitoral na mudança de partido do chefe do Poder.

Mas na prática as pessoas acreditam que a estabilidade serve para garantir o emprego apesar da incompetência. Basta um exame da lei para provar que não é assim.

O segundo motivo, talvez tão importante quanto, é o da aposentadoria integral. É verdade que os funcionários públicos de nível médio são bem mais remunerados do que seus pares da iniciativa privada, portanto manter esse salário como aposentadoria é algo muito sedutor.

Em outras palavras, o cargo público, que deveria ser exercido por pessoas que tem o sincero desejo de servir à sociedade, é desejado majoritariamente por pessoas que estão em busca de uma coisa:

GARANTIA

E aqui entra um ponto chave importante:

A ÚNICA GARANTIA QUE A VIDA DÁ É DE QUE A GARANTIA É UMA ILUSÃO

Na época em que se fazia piada do Paraguay (que hoje é um país muito mais evoluído do que o Brasil) por causa das cidades fronteiriças e dos seus camelôs, uma frase dita nas piadas era: “La garantia soy yo” (A garantia sou eu).

Honestamente falando, nunca vi ninguém falar com mais propriedade sobre garantia do que esse camelô.

Porque, amigos, lamento informar: a vida não garante nada. E essa é a única coisa garantida.

Vou demonstrar com exemplos. Não pretendo discutir ou me manifestar sobre minhas opiniões a respeito disso: só expor os fatos.

Há alguns dias atrás fiz um post sobre a previdência e todos sabem da reforma previdenciária que está ocorrendo no Brasil e em outros lugares. Não vou entrar no mérito político da coisa, mas no mérito factual: a aposentadoria dita privilegiada dos funcionários públicos (mesmo para os ativos) acabou. Ou seja, uma das garantias que a população crê existir foi derrubada.

A questão da estabilidade, na qual se agarram como contas de um rosário, também está para acabar. Por dois motivos: a estabilidade não protege a incompetência, mas sim os direitos civis (tal proteção também, supostamente, existe na iniciativa privada e em todo mundo livre). Segundo, no futuro os funcionários serão avaliados mesmo após o estágio probatório. DESDE 1990 está previsto na lei a possibilidade de se demitir funcionário público comprovadamente incompetente.

Aproveito para colocar outra questão específica da carreira de professor federal, a qual eu tenho mais contato e conhecimento. Existe uma gratificação chamada RSC (Reconhecimento de Saberes e Competências) que premia o conhecimento “extra acadêmico” do professor. Para os funcionários administrativos existe uma equivalente. Há um projeto de lei que prevê o seu corte. Mais da metade do salário de um professor mestre ou especialista será cortada se o projeto for sancionado.

Moral da história: tudo aquilo que se vê como garantido não é bem assim. Então, qual a solução para um mar de incertezas?

Para isso, eu consultei meu amigo fictício camelô paraguayo, que me disse “la garantia soy yo“. E pensei: se a garantia sou eu, eu preciso “me dar garantia”. E qual a melhor forma de se fazer isso? Através do conhecimento!! Então, se eu quiser sobreviver financeiramente de uma forma garantida eu preciso conhecer as ferramentas de Educação Financeira e aplicá-las. Assim eu agi por anos e hoje construí uma vida da qual não dependo mais de salário para viver. Assim é como estou ensinando para vocês.

Lembre-se, leitor(a), “la garantia és usted”.

Abraço do Prof. Rivero.

#rsc #garantia #funcionáriopúblico #previdência #aposentadoria #integralidade #estabilidade #serviçopúblico

0 visualização
Telefone.png
whats 3.png

+55 (51) 4042-0092

+55 (51) 98488-8460

professor@mentesfinanceiras.com.br

  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

PREPARANDO MENTES FINANCEIRAS • Poto Alegre/RS -Brasil